.

quarta-feira, 4 de maio de 2011

Júlio de Sá Bierrenbach, Corajoso, Íntegro e de Caráter



Comentário sobre a notícia em 3 de maio de 2011:

"No momento em que o cidadão comum toma conhecimento de estranhas decisões em alguns julgamentos realizados nas nossas altas cortes de justiça, nos enche de orgulho relembrar a coragem, a ética e a conduta ilibada do almirante Júlio de Sá Bierrenbach, então ministro do Superior Tribunal Militar (STM), quando em dezembro de 1982 votou a favor do desarquivamento do atentado do Riocentro. Esta lembrança nos traz a esperança de que outros brasileiros iguais a ele ainda poderão surgir no triste cenário que temos a nossa frente nos dias de hoje. Nas 52 páginas da justificativa do seu voto, o ministro Bierrenbach dizia que a ação nefasta de alguns militares não poderia comprometer todo o exército. Mesmo assim, o pedido de desarquivamento foi negado por dez votos a quatro. O almirante Júlio de Sá Bierrenbach, é o exemplo que todo cidadão comum espera de um juiz de qualquer alta corte de justiça: ser corajoso, integro e de caráter ilibado."

WILSON GORDON PARKER
wgparker@oi.com.br
Nova Friburgo (RJ)

O Globo - 03/05/2011
Inquérito do Riocentro é repleto de omissões'
"Não apuraram porque não quiseram"
Ministro aposentado do STM afirma que atentado no Riocentro deixou de ser investigado para proteger altos oficiais

[LEIA MAIS...]


Publicado no DIÁRIO DA MANHÃ,Goiânia, "CIDADÃO DIFERENCIADO", em 4 de maio de 2011


Publicado no IMPRENSA LIVRE, Litoral Norte de SP, "DECISÕES", em 4 de maio de 2011


Publicado no JORNAL DO BRASIL, "EXEMPLO", em 4 de maio de 2011


Publicado no A VOZ DA SERRA, Fiburgo,"Corajoso, integro e de caráter ilibado", em 06 de maio de 2011


Publicado no HOJE EM DIA,MG, "BIERRENBACH", em 09 de maio de 2011

2 Comentários:

  • Em 1964, Júlio de Sá Bierrenbach foi designado para comandar a Capitania dos Portos na cidade de Santos. Naquele ano, o navio Raul Soares foi levado do Rio de Janeiro para o porto santista, onde serviu de presídio político, de abril a novembro. Os presos eram opositores do regime militar, que acabara de se instalar no Brasil (militares dissidentes, sindicalistas, portuários, jornalistas, estudantes, médicos, professores, funcionários públicos, políticos...).

    Por Blogger Lidia Maria de Melo, às 22 de setembro de 2013 13:27  

  • Este comentário foi removido pelo autor.

    Por Blogger Lidia Maria de Melo, às 22 de setembro de 2013 13:28  

Postar um comentário

<< Home