.

segunda-feira, 5 de maio de 2008

Que saudade da belíssima e corajosa primeira-dama Maria Teresa Goulart


FOTO: A PRIMERIA-DAMA MARIA TERESA GOULART AO LADO DE JANGO, DIAS ANTES DA QUARTELADA DE 1964

Comentário sobre a noticia:

O que o Augusto Nunes quis dizer em sua coluna SETE DIAS foi que não existe mais primeira-dama do gabarito de uma Maria Teresa Goulart, esposa do presidente João Goulart.

Depois dela, só mesmo a Dona Ruth Cardoso, que aliás detestava ser mulher de presidente, segundo suas próprias palavras. Entretanto, ela nunca exigiu nenhum favor de FHC.

As outras que existiram, e existem, ninguém sabe o nome das mesmas, nem o que fazem. Aliás, ninguém quer saber, porque todos tem que trabalhar muito para sobreviver.

E só sabemos quando elas aparecem no noticiário da imprensa fazendo alguma coisa nada recomendável, como foi o caso da primeira-dama cearense que obrigou o governador Cid Gomes a levar a sua mãe num passeio turistico na Europa, às custas do dinheiro do povo.

Que saudade da belíssima e corajosa primeira-dama Maria Teresa Goulart.


WILSON GORDON PARKER
wgparker@oi.com.br
Nova Friburgo (RJ)

*

Jornal do Brasil, 4 de maio de 2008

SETE DIAS

Augusto Nunes


MARIA TERESA GOULART ­ Supor tou o exílio sem pedir a Jango que chamasse a sogra Tremenda quarta-feira, pressentiu o presidente Lula ao saber da agenda de 1º de Maio.

Estaria longe do serviço em Brasília. Estaria perto de platéias e microfones. Embrulhadas para viagem, promessas de obras do PAC e verbas federais atulhavam o compartimento de carga. E decolaria para a festança política em Alagoas com o índice de popularidade flutuando na estratosfera. Seria uma tremenda quarta-feira.

Em dias assim, Lula sempre retribui a generosidade da Divina Providência com a absolvição de algum pecador companheiro. Foi assim na recente viagem a Pernambuco, onde enxugou lágrimas imaginárias do extorsionário Severino Cavalcanti, condenado por negociatas miúdas a uma temporada no purgatório.

Foi assim no dia seguinte. Grávido de misericórdia, o Grande Pastor absolveu mais um. Ninguém conseguiria abalar a bonita amizade que o liga ao senador Renan Calheiros, avisou. Ao taxiar na pista, Lula já decidira que, em Maceió, absolveria dois injustiçados.

Quando os corações são companheiros, não existem pecados imperdoáveis. Tanto não há que Lula apareceu por lá em companhia do ex-presidente Fernando Collor. Aquele mesmo do episódio Miriam-Lurian. Aquele mesmo do mais medonho insulto sofrido por Lula.

Renan e Collor estavam juntos em Brasília quando aplaudiram, em outubro de 1989, a maior das abjeções eleitorais. Estavam juntos também na quarta-feira, quando festejaram a absolvição de Collor.

E juntos aplaudiram a absolvição do governador cearense Cid Gomes, que escondia sob o terno a faixa de Genro do Ano. Teve peito para conquistá-la. Em fevereiro, anexou a sogra à comitiva completada pela primeira-dama e por dois casais amigos, embarcou a turma no jatinho fretado e foi passear na Europa. Gastou R$ 388 mil numa excursão que ficaria bem mais barata se viajasse sozinho, e em aviões de carreira.

Cid se fez de surpreso com a repercussão da façanha. A idéia nem fora dele, informou. Pauline Carol Habib Moura, a sogra, embarcara por sugestão da primeira-dama, Maria Célia, que enxergou a tempo o fantasma da solidão.

O maridão estaria às voltas com uma agenda estafante. Não tinha tanta intimidade com as companheiras de comitiva.

Poderia levar a mãe?, perguntou a Cid.

Como dizer não?

"Elas têm uma ligação muito estreita, minha mulher tem 29 anos", informou o genro.

A gaúcha Maria Teresa Goulart tinha 21 quando João Goulart se tornou presidente e 24 quando foi deposto. Estava no exílio quando chegou à idade da cearense Maria Célia. Ficou longe da mãe para ficar ao lado de Jango. Nunca pediu ao marido que chamasse a sogra. Pior para Maria Teresa, decidiu Lula.

"Não podemos permitir que um companheiro como o Cid seja mostrado em nível nacional apenas porque atendeu a um pedido da mulher para levar a mãe da mulher", complicou.

"Tem muita coisa mais importante, não que a sogra não seja importante, que ele faz e que não apareceu".

O povo concorda, atestam as pesquisas. Se não esganarem a enteada, se não jogarem a filha pela janela, todos os pecadores merecerão vaga no céu infinito dos bons companheiros.

1 Comentários:

  • Saudades mesmo!

    Embora, eu fosse apenas uma criança na época que Jango governava o Brasil, sei que Maria Tereza Goulart, sua esposa, era de uma beleza e elegância incrível!
    Certa vez, lendo uma matéria sobre Jacqueline Kennedy Onassis, ex-primeira dama dos EUA, jamais me esqueci do comentário engraçado que o autor fez sobre a beleza de ambas.
    Segundo ele, naquela manhã que Jackie pegou o seu espelho e perguntou o seguinte:

    - Quem das mulheres na Terra é mais linda e elegante do que eu?

    E o espelho respondeu calmamente:

    - Tu és bela e formosa, mas partir de hoje há outra tb, tão bela e elegante quanto você. Seu nome? Maria Tereza Goulart!

    E aí, as coisas nunca foram mais as mesmas para Jackie...(rs)
    Grande verdade!

    Por Blogger Nadja, às 26 de junho de 2008 13:53  

Postar um comentário

<< Home